POR DE TRÁS DESTA TELA

Quando abro este simples portão de tela trago muitas vezes comigo uma bagagem que pesa, mas que logo vai embora. Na verdade, vários motivos me trazem aqui: já vim chorar, pensar, refletir, falar com Deus. Procurar, às vezes, respostas para momentos difíceis, já vim para agradecer, contemplar esta natureza magnífica.
O cheiro da terra, das flores, as cores variadas que se apresentam fazem os olhos brilharem. Esta semana abriu uma roxa com miolo marrom, um presente que dei a meu pai, já tinha uma outra roxa de outra espécie e uma de cor laranja bem forte, são muitas, mas cada uma com seu tempo de desabrochar.
Por de trás da tela pode ouvir o soar do canto dos pássaros, borboletas, até presenciar a visita de alguns ilustres beija-flores, que vêm sugar o néctar de outras flores, levando consigo em seu bico mais flores que nascerão em outros lugares.
Aqui dentro fica eu, as orquídeas e o precursor de toda esta beleza: Deus, que se mostra sempre presente em toda sua criação de formas diferentes, mas de um jeito imensurável, que fica em minha mente por um tempo quase eterno.
Amo também cuidar, colocar água, tirar as folhas amarelas, até conversar com elas, parece que elas me ouvem, muitas vezes minhas opiniões até mudam quando preciso resolver algo, como já escrevi aqui, se torna um lugar para mim de reflexão.
Sei que não sou a única pessoa que se sente bem aqui neste lugar, existe uma energia forte, traz paz, sossego. Quero poder viver tudo isso por vários outonos, enquanto houver vida por de trás desta tela.


03/07/2014  Edmary

Nenhum comentário:

Postar um comentário